O que se espera do Professor - Tutor em EaD ? Ensino à Distância

03/03/2006

Autor(a): Marcus Luiz Santana Moraes - "Email: professor_marcusluiz@terra.com.br"

Introdução

O professor tutor tem um papel extremamente importante no ensino à distância - EaD. As funções devem ser pedagógica, social, administrativa e técnica. Isto se deve porque o ensino em uma escola virtual tem características específicas, como as variações do espaço de ensino, que pode ser em qualquer lugar, professor e aluno encontra-se em condições de igualdade na comunicação, tendo o aluno um atendimento individual, tempo para entrar em sala de aula a qualquer momento, maior uso de multimídia e tecnologia na construção do conhecimento. Neste contexto o papel do professor-tutor deve ser de um integrador, colega, facilitador, inspirador de confiança e uma pessoa que ajuda o aluno na construção do conhecimento. Podemos usar a máxima em que militares utilizam nos campos de batalha, ninguém deve ficar para trás, esse deve ser a meta do professor-tutor.

Justificativa

Como o EaD ainda é uma área de pesquisa recente, justifica-se todo e qualquer debate sobre o assunto com o objetivo de construir conhecimento em torno dessa nova modalidade de ensino. Nova com o uso de tecnologia de multimídia e o advento da Internet que possibilitou a expansão e uso em massa do ensino a distância. A adaptação dos professores a essa nova modalidade de ensino, onde a sala é virtual, vai depender da motivação e desejo de mudança que o professor tenha porque neste caso o aluno não é visível e não se sabe quando ele estará em sala de aula. Todo esse ambiente é novo e exige uma adaptação do professor e aluno nos aspectos pedagógicos, social, administrativo e técnico.

Desenvolvimento

Lévy (1994) disse que o espaço cibernético é um terreno onde está funcionando a humanidade hoje. É um novo espaço de interação humana que já tem uma importância enorme, sobretudo no plano econômico e científico e, certamente, essa importância vai ampliar-se e estender-se a vários outros campos, como por exemplo, Pedagogia, Estética, Arte e Política. O espaço cibernético é a instauração de uma rede de todas as memórias informatizadas e de todos os computadores. A FGV ? Fundação Getúlio Vargas, citada aqui como exemplo, conhecedora desse novo contexto aproveitou a oportunidade e constituiu o FGV On-line adaptado a essa nova realidade.

Lévy (1994) diz também que no espaço cibernético temos uma ferramenta de comunicação muito diferente da mídia clássica, porque é nesse espaço que todas as mensagens se tornam interativa, ganham uma plasticidade e têm uma possibilidade de metamorfose imediata. E aí, a partir do momento que se tem o acesso a isso, cada pessoa pode se tornar uma emissora, o que obviamente não é o caso de uma mídia como a imprensa ou a televisão.

Assim as organizações que oferecem EaD chamam atenção quando ocupam espaço no ensino a distância usando de ferramenta de comunicação adaptada às novas tecnologias. Isto pode ser comprovado se compararmos o início deste processo nos

anos 90até hoje, cito como exemplo o FGV On-line. As organizações sérias usam de forma intensa aspectos pedagógicos, social, administrativo e técnico em seus mais variados cursos colocados à disposição dos alunos. Como tenho oportunidade de ser tutor e aluno em organizações que prestam este tipo de serviço posso verificar as facilidades de navegação nas salas de aula, uso de design contemporâneo, uso intenso de multimídia e de tecnologia que facilita o estudo dos alunos e o trabalho dos tutores.

A interação é maximizada nos cursos à distância. Tem portabilidade pelo uso intensivo de tecnologia de informação e comunicação que permite o acesso pela grande maioria dos computadores utilizados nas mais variadas plataformas de software, o que permite uma desterritorialização do ensino, é, em minha opinião, dois dos fatores principais do sucesso da iniciativa do EaD.

O outro ponto importante para um programa como esse é o suporte técnico aos usuários. Nesse ponto o programa pode criar um motivo de evasão de alunos muito séria pela falta de apoio e assistência no momento devido. Sou profissional da área de tecnologia da informação e, por experiência própria, posso afirmar que este é um dos piores serviços que prestamos, mas no caso do FGV On-line encontramos um serviço de qualidade excepcional. Este é um dos pontos maximizam o sucesso do FGV On-line.

Dentro desse contexto, facilitado por um bem estruturado Programa de EaD, as tarefas do tutor são facilitadas, não quero dizer que são fáceis, mas a forma, estrutura e suporte disponibilizados facilitam, e muito, o trabalho do tutor. Concordo com Levi que a função-mor do docente não pode mais ser uma difusão dos conhecimentos, executada doravante com uma eficácia maior por outros meios. Sua competência deve deslocar-se para o lado do incentivo para aprender e pensar, lembrando que pensar é algo para o qual não somos treinados. Portanto, o docente torna-se um animador da inteligência coletiva dos grupos dos quais se encarregou. Sua atividade terá como centro o acompanhamento e o gerenciamento dos aprendizados...

? incitando ao intercâmbio dos saberes;
? mediação relacional e simbólica;
? pilotagem personalizada dos percursos de aprendizado etc.

Assim sendo, as maiores dificuldades do tutor seria a ausência do aluno, não conhecimento de como utilizar a tecnologia da informação com respeito à Internet, não estabelecer um espaço de interação e confiança entre ele e os alunos e o não incentivo à criação de espaço colaborativo entre os alunos. Segundo os ensinamentos de Azevedo pode-se considerar que, para um trabalho obter resultados positivos, pode utilizar as tecnologias da informação e comunicação de forma que estas contribuam para o aprendizado dos estudantes e para que isso ocorra, o trabalho deve ser cooperativo, colaborativo e interativo.

Atualmente, temos cada vez mais conservados, sob forma numérica e registrados na memória do computador, textos, imagens e músicas produzidos por computador. Então, a esfera da comunicação e da informação está se transformando numa esfera informatizada. Pensar qual o significado cultural disso é o desafio de pensar um espaço escolar virtual.

Esse desafio existe porque, a escola virtual significa uma aprendizagem em qualquer lugar com enriquecimento das atividades curriculares; a fala do aluno é igual à fala do professor, existe uma maior interação entre os alunos; há maior variedade cultural; o tempo de aprendizagem é definido pelo aluno; os recursos multimídia significam conteúdo dinâmico e interativo exigindo do professor-tutor intimidade com tecnologias do espaço cibernético, utilização de materiais multimídia pelos alunos e maior uso da tecnologia e construção do conhecimento.

O risco é que EaD mal planejado e mal conduzido pode significar a desistência dos alunos ou uma aprendizagem solitária, mecânica e superficial.

O bom proveito de novas tecnologias pelo tutor pode significar uma aprendizagem motivadora e eficaz por parte dos alunos. O conhecimento do aluno virtual pelo professor maximiza a redução dos custos de aprendizagem. Opções teóricas têm relação direta com a importância da independência e das diferenças culturais.

Conclusão

Concluímos que as organizações de ensino à distância, estão se adaptando, como organização de ensino, à nova era do espaço cibernético. A constatação disso é o padrão de qualidade do Programa FGV On-line disponibilizado a sociedade brasileira e ao Estado. Para isso ser possível três elementos essenciais devem ser tratados: aluno, professor e o espaço de aula, isto tudo nos ensinos presenciais mediado por tecnologia e à distância.

Quanto aos alunos a questão é o alto grau de qualidade e excelência dos cursos de EaD, onde a possibilidade de interação, comunicação, cooperação e colaboração estão presentes em seus mais variados cursos. O espaço de aula foi construído de maneira que permitisse a navegação facilitada permitindo a interatividade, o design das telas e espaço onde os textos são apresentados cria a vontade de estudar pelo computador. Em uma sociedade que foi e está sendo educada pela leitura em papel, a comunicação entre aluno, escola e professor está calcada em uma plataforma tecnológica extremamente facilitadora e um dos pontos de destaque que é o suporte obtido pelos usuários do sistema que é de excelente performance e qualidade.

Por fim o tutor, deixado aqui por último por se tratar do nosso centro das atenções nesse momento. O que se espera do Professor-Tutor é que este seja a porta de entrada nesse ambiente de aprendizagem à distância, onde devemos considerar importantes todos os aspectos, principalmente os cognitivos. Este é um dos aspectos que deve ser levado a sério, pois precisamos compreender como se dão os processos de aprendizagem à distância, como acontece à construção do conhecimento nesses ambientes e os tutores têm esse papel de integrador, colaborador, cooperativo e comunicativo.

Portanto as teorias são essenciais e fundamentais para podermos entender esses processos e construir a nossa própria aprendizagem. Porém, o uso colaborativo das experiências junto à teoria permite que os Professores-Tutores, como seres humanos, possam construir conhecimentos à medida que tentam tirar sempre o melhor proveito de suas experiências e das teorias. (KAMII, 1996, p. 68).

Indique este site

Contato

Dúvidas, sugestões, entre em contato com a Tânia Zambelli.

Entrar em contato
Página principal
Contato: FAX: 55 31 3293-0104 | tania@taniazambelli.com.br